Recursos para ensinar matemática

Tempo de leitura: 3 minutos

Imagine uma pessoa que pesa 150 libras. Isso é muito ou é pouco? Provavelmente, você não faz a mínima ideia. Isso porque as libras não são o nosso sistema de medida. Se você consegue mensurar, é porque, com certeza, já teve alguma experiência concreta com este sistema.

Este é um exemplo clássico que eu uso para demonstrar a importância do concreto para o desenvolvimento do pensamento matemático. Ainda é preciso considerar que a matemática exige muito que a pessoa consiga fazer hipóteses mentais, habilidade esta adquirida lá pelos 12 anos de idade, aproximadamente. Sendo assim, o uso de recursos visuais e táteis se faz ESSENCIAL para o desenvolvimento da matemática inicial.

Vamos aos recursos que podem ser usados?

 Material dourado, Ábaco e Escala Cuisenaire: são três materiais excelentes para desenvolver o Sistema de Numeração Decimal, além de trabalhar com cálculos e verificar as possíveis trocas e transportes. Pode ser manipulado da Educação Infantil, de forma mais lúdica, até o 5º ano, sistematizando trocas.

Materiais de contagem: isso não pode faltar nas salas de Educação Infantil, 1º e 2º ano. Os materiais de contagem auxiliam (E MUITO!) as crianças desta faixa etária. Depois do 3º ano é bom que os alunos possam superar o uso dos materiais concretos de contagem, embora seja uma boa estratégia para ter na manga e auxiliar crianças com dificuldades. Além dos materiais reciclados, como tampinhas, anéis de lata e palitos, vale também apostar nas miçangas (ou chamadas de contas) e nos próprios dedos!

Fichas escalonadas (ou sobrepostas): estas fichas são MUITO bacanas para trabalhar com composição e decomposição dos números. Quando eu trabalhava com o 4º ano, auxiliava muito os meus alunos a escreverem os numerais por extenso, pois como trabalhávamos com números altos, às vezes eles se perdiam. Vale a pena investir desde o 1º ano, quando trabalhamos os números maiores do que dez, até também as crianças mais velhas, que usam numerais  bem extensos.

Sistema monetário (dinheiro): fácil de conseguir nos bazares ou até nos livros didáticos, gosto de trabalhar com as notas e moedas quando as crianças começam a fazer isto, normalmente lá no 3º ano (observe o currículo da sua escola). Atente sempre para utilizar notas e moedas que condizem com a nossa realidade (não utilizar notas de um real, por exemplo).

Dados: os dados são bem legais para trabalhar com jogos e operações mentais. Existe uma infinidade de tipos de dados. Os com “pontinhos” são legais para serem usados com crianças menores. Os com algarismos, a depender do número, pode ser inserido, conforme o decorrer das aprendizagens.

Blocos lógicos e Tangram: estes são belos materiais para desenvolver o pensamento matemático com as crianças da Educação Infantil. Os blocos lógicos são muito bacanas para trabalhar com classificação e seriação. Servem também para trabalhar com as figuras geométricas, assim como o Tangram (além de desenvolver o pensamento lógico).

Sistema de medidas: trena, balança, fita métrica, régua, potes medidores… Estes materiais são bacanas para dar referências às crianças. Lembram do exemplo das 150 libras? Pois é! Eu recomendo que os pequenos tenham contato, mas só vamos sistematizar formalmente estes conceitos quando forem exigidos pela escola, normalmente no 4º e 5º ano.

 

Se você quer saber MAIS sobre esse assunto, te convido a assistir à LIVE completa nós gravamos! É só acessar este link!

Para fazer parte do MAP, o Matemática na Prática, clique aqui!

Gostou do conteúdo? Então curte e compartilha! 

Aproveita para seguir a Professora Clarissa nas redes sociais, pois através delas damos dicas diárias para deixar a tua prática em sala de aula mais leve e doce! 

Um Abraço,

Camila Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *