Como gravar vídeos que chamam atenção?

Tempo de leitura: 7 minutos

Estamos vivendo um momento novo. Do dia para a noite (literalmente), viramos professoras online. Nosso instrumento de trabalho deixou de ser a lousa e passou a ser a câmera. Deixamos de ir até a escola para trabalhar na sala de casa.  

Muitas professoras nos procuram esboçando as suas inseguranças, os seus medos. Medo do incerto, medo do amanhã, medo de perder o emprego. Esse é um sentimento real, legítimo, que pegou não só a nossa “classe” de surpresa, mas o mundo todo. Na tentativa de amenizar esse mix de emoções, chamamos a Gislene Isquierdo para uma aula com nossas alunas e, agora, transformamos algumas ideias em texto, para que todos vocês tenham acesso. 

 

Uma dica fundamental é: controle o que você pode controlar! Você tem controle sobre o vírus? Sobre quanto tempo ainda ficaremos em isolamento? Sobre quando as aulas recomeçarão? Não! Portanto, não gaste a sua energia com esses pensamentos! Deixe um pouco de lado estas incertezas e faça aquilo que está ao seu alcance! E o que está ao seu alcance? O que você pode controlar? 

Em relação às suas incertezas quanto ao cenário que estamos vivendo, por exemplo, você pode controlar tudo o que você lê, os sites nos quais você busca informação, bem como as pessoas que você segue na internet. Se você lê, ouve e segue pessoas/sites/notícias que te dão esperança, que fazem te sentir bem, que elevam a sua energia, ÓTIMO! Continue! Agora, se você apenas gasta tempo e energia com informações e pessoas que te deixam ainda mais apavorada, PARE! A sua saúde mental precisa estar em dia para que você possa exercer sua profissão e cuidar da sua família e amigos. E sobre estas coisas você tem controle! Portanto, faça uma faxina nas suas redes sociais e no que você escolhe ver, ouvir e ler! 

Outro aspecto ainda sobre o qual você tem o controle é o aumento do seu índice de empregabilidade. O que seria isso? É um profissional que tem menos chances de ser demitido e que, caso isso ocorra com ele, será rapidamente readmitido por outra empresa. Isso acontece porque é uma pessoa que se desenvolve, que estuda, que faz formações e que está atualizada. Isso também está nas suas mãos! Além dos nossos cursos, há muito conteúdo gratuito no nosso YouTube onde você pode estudar. Pegue um caderno, anote o nome do vídeo, o dia, o que você aprendeu e o que você irá aplicar. Deste modo, você irá se sentir mais segura para se reinventar nesse tempo de pandemia e manter-se firme no seu emprego! 

 

Uma outra dica dada pela Gi durante a nossa aula foi a utilização de música. A música tem um poder muito forte de mudar o nosso estado emocional, pois ela evoca emoções e ativa a dopamina, que é o neurotransmissor do prazer. Você pode usá-las para começar uma aula, por exemplo. Além de utilizar este recurso com as crianças, é também uma ótima estratégia ouvir algo bem animado antes de gravar os vídeos ou entrar online, pois a música quebra com toda tensão, estresse ou chateação que possa estar te afligindo naquele momento. 

 

Cuidado especial: se os seus vídeos ficam públicos no YouTube, cuide para usar músicas de licença livre, caso contrário, seu vídeo pode ser banido por direitos autorais. Isso pode ser evitado se você optar por não deixar a aula pública, apenas como “não listada” (somente pessoas que tiverem o link poderão acessar). 

 

A timidez ainda pode ser outro aspecto que atrapalha muitos professores. Ouvimos com recorrência a frase: “eu não sei falar em frente às câmeras”. Todo pensamento gera um sentimento e todo sentimento gera um comportamento. No momento em que você foca neste tipo de pensamento, você se sentirá ainda mais insegura em ter que gravar. 

Foque no pensamento de que “é uma aula!”. É o que você SABE e ESTÁ ACOSTUMADA a fazer. É a sua profissão! É o que você domina! Algumas dicas de ouro que a Gislene deu para nós foi: 

– Enquanto estiver falando, olhe no olho da câmera: se conecte com seu aluno. Não fique distraída olhando a si mesma. Interaja com eles por meio da tecnologia, esteja aberta a isso. A câmera não precisa te botar medo, ela é um mero instrumento que irá ajudar vocês a se vincularem durante este período. 

– Se for uma aula ao vivo, olhe para os alunos quando eles forem falar: quando você abrir espaço para a turma, peça que abram a câmera e aí sim olhe para eles. Essa é a nova forma de interagir, por agora! 

 E para deixar as aulas mais atrativas, prendendo a atenção do nosso aluno, o que podemos fazer? 

  1. Faça uma série: se, por exemplo, você tem uma aula de 40 minutos para dar, dividida em partes (poderia ser 8 partes de 5 minutos) e finalize cada parte com alguma pergunta, enigma ou mistério a ser resolvido no “episódio” seguinte, deixando um gostinho de quero mais. 
  2. Organize por números: usar números como título da aula pode ajudar os alunos a se focarem no que deve ser aprendido, por exemplo, 4 dicas para decorar a tabuada, 3 regras para não errar mais o uso do R, 8 sugestões para produzir um texto melhor Durante a aula você pode ir enumerando com eles, fazendo-os até repetir o que já foi aprendido. 
  3. Leveza no vídeo: não é porque o conteúdo é sério que não pode ter bom humor. Não vá fechada, “carrancuda”, mal-humorada. Escute aquela música animada e entre no vídeo cheia de bom humor! Quem quer escutar uma aula com alguém brabo e desconfortável do outro lado? 
  4. CAI: essa sigla significa Chamada de Ação Imediata. Isso significa que, durante a aula, você pode pedir que os alunos façam coisas ali, na hora. “Escrevam aí no chat pra mim… Me digam… Levantem e peguem…”. Algo para ser feito instantaneamente. E quem estiver usando apenas o WHATSAPP também pode usar essa técnica através dos áudios ou fotos que os alunos enviam. 

 

A internet veio para ficar: precisamos nos acostumar! Esse é o novo normal. O home office e a tecnologia não retrocederãoMesmo com a escola presencial, ainda teremos muito do online em nossa rotina de professores, por isso, exercite-se! Gravar os vídeos pela primeira vez pode ser desconfortável, estranho, chato. Mas quanto mais você fizer, mais ficará natural. 

 Se você receber uma crítica não desanime. Reflita sobre ela! É uma crítica construtiva? Eu realmente posso melhorar naquele aspecto? Então, melhore! Se for sem fundamento, apenas ignore! 

 Para as professoras que não estão fazendo vídeos devido às condições da escola e das famílias, uma dica bacana é utilizar o WhatsApp para enviar áudios, links de vídeos, músicas, vídeos em baixa resolução e fotos. Cuidando sempre para envolver a família o menos possível (já que estes também estão enfrentando adaptações) e, sempre que for envolver os familiares, peça atividades que sejam divertidas e não maçantes, que irão desgastar ainda mais o relacionamento das crianças com os pais e a escola. 

 

Para ter acesso a esta aula bônus de quase 2 horas, torne-se ALUNA CAP! Lista de espera aqui.

 

E acesse a nossa playlist sobre “Como ensinar na pandemia” – já tem mais de 10 vídeos: https://www.youtube.com/watch?v=DjeRpYJlcYU&list=PLpogTcRltf-SHP1agu02rJpNBvop1J-8S 

Siga @clarissapereirapedagoga nas redes sociais. Lá, nós postamos conteúdos diários para deixar sua prática mais leve e doce.   

Abraço,
Professora Clarissa Pereira e Camila Oliveira    

(Texto redigido por Camila Oliveira, com base na aula dada por Gislene Isquierdo para as alunas dos cursos CP, e revisado por Clarissa Pereira)  

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *