Como criar um ambiente matematizador

Tempo de leitura: 3 minutos

Se você é professora de Educação Infantil, 1º, 2º ou até 3º ano, posso quase apostar que tem um alfabeto exposto na sua sala de aula, certo? Se for professora do 4º ou 5º ano, é possível que tenha textos, trabalhos das crianças e livros em um canto da sala.

Mas e os números? E a matemática? Ela está presente na sua sala de aula?

Hoje eu quero te dar dicas práticas para montar um ambiente matematizador, ou seja, um ambiente que seja propício ao aprendizado da matemática. Se você quiser um material bem completo, com todas as dicas e ilustrações, clique AQUI, e baixe este presentão!

Antes de dar as dicas, quero lembrar DUAS coisas importantes. Primeiro: o ambiente matematizador serve não para ficar ali exposto, mas para potencializar as ações da professora e a aprendizagem dos alunos. Segundo: não deixe O ANO INTEIRO os mesmos materiais. Troque conforme as necessidades.

Agora, vamos lá!

1 – Calendários: de todos os tipos, anuais, mensais, semanais, do tempo…! Não esqueça de explorar com as crianças, e não deixar ele ali parado de enfeite! Conceitos como “ontem, hoje, amanhã, quantos dias faltam para…” são importantes de serem desenvolvidos com os pequenos.

2 – Números de alunos: “quantas meninas, quantos meninos, quantos ao todo, quantos faltaram…”. Use a criatividade!

3 – Números: o ideal é que apareçam de três formas – o algarismo, o nome por extenso e a quantidade. Se as crianças forem grandes, não há necessidade, pode ser só o algarismo (como os quadros até 100, por exemplo).

4 – Números de bolso: se trata de um quadro com números e bolsos de plástico (tipo o alfabeto de bolso). As crianças podem manipular as quantidades e colocar objetos conforme o algarismo.

5 – Materiais concretos: temos um post fresquinho sobre isso! Leia mais clicando aqui!

6 – Jogos: dos mais variados – baralho, Uno, vareta, dominó, Banco Imobiliário, Jogo da Vida, trilhas, memórias… Podem ser jogos comprados ou também confeccionados pela própria turma.

7 – Materiais para medir: balança, trena, copos de medida, réguas. São ótimos materiais para os grandes, do 4º e 5º ano, que já trabalham com estes conceitos. Contudo, é interessante que os menores possam manipular e ir reconhecendo as unidades de medida que utilizamos no nosso contexto cultural, embora a gente não vá fazer um trabalho escolar formal com estes conceitos.

8 – Relógios: também podem ser confeccionados ou comprados, coletivos ou individuais. O importante é que o aluno possa manipular os ponteiros!

9 – Outros cartazes: conforme aquilo que a turma estiver trabalhando (olha a importância de renovar os materiais expostos). Pode ser a tabuada, um QVL, atividades feitas por eles…

10 – Fichas de atividades: trata-se de fichas com vááááárias atividades que podem ser feitas no tempo extra ou para aqueles alunos que terminam os trabalhos rapidamente. A ideia é que não sejam atividades matemáticas tradicionais, mas que possam ser mais lúdicas e desafiadoras.

11 – Literatura: muitos livros de literatura infantil abordam conceitos matemáticos ou possuem um enredo que é bem bacana de trabalhar com os números. Dá uma olhadinha na listinha que fizemos no material para baixar e também na nossa LIVE!

12 – Passatempos: sudoku, estrela ou quadrado mágico, operações cruzadas, dentre tantos outros passatempos lógico-matemáticos!

Se você quer saber MAIS sobre esse assunto, te convido a assistir à LIVE completa eu fiz no dia 01/10! É só acessar este link!

Para fazer parte do MAP, o Matemática na Prática, e descomplicar o jeito que você ensina matemática, clique aqui!

Gostou do conteúdo? Então curte e compartilha! 

Aproveita para seguir a Professora Clarissa nas redes sociais, pois através delas damos dicas diárias para deixar a tua prática em sala de aula mais leve e doce! 

Um Abraço,

Camila Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *