ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA

Tempo de leitura: 4 minutos

Durante a Educação Infantil e os primeiros anos dos Anos Iniciais, comumente observamos currículos e professores que privilegiam o ensino e a aprendizagem das letras, da escrita do nome, das práticas de leitura e da inserção da criança em um contexto de letramento.  Isso faz todo sentido e é muito importante! Acredito tanto nessa premissa que eu, como educadora, resolvi compartilhar com vocês todo esse conteúdo sobre ALFABETIZAR.

Contudo, não podemos deixar a matemática de lado. Às vezes ficamos tão focadas em pensar em boas atividades de leitura, escrita e em como ajudar meus alunos a avançarem em suas hipóteses, que deixamos as tarefas matemáticas apenas para quando “sobra um tempinho”. Em alguns momentos, não dedicamos o mesmo tempo e energia para pensar sobre os números e suas relações, deixando as crianças com atividades restritas à contagem e ao cálculo.

O que precisamos refletir é que as crianças também precisam ser ALFABETIZADAS MATEMATICAMENTE. Ou seja, todo aquele processo cuidadoso que temos para apresentar as letras e auxiliar os alunos a estabelecer relações entre pautas sonoras, precisa ser também feita em relação aos números.

Algumas pessoas são resistentes aos números. Não podem ouvir falar em matemática! Na própria Faculdade de Pedagogia, temos poucas disciplinas que abordam este conteúdo. Isso nos deixa depois, na sala de aula, inseguras sobre o quê e como ensinar. Acabamos, então, por reproduzir processos automáticos, sem refletir sobre o uso e o impacto da aprendizagem matemática.

Você sabia, por exemplo, que os países que investem em educação matemática possuem índices maiores de capital mental? Isso significa que, as sociedades que trabalham com números desde pequenos, tem mais sucesso econômico e social.

Você sabia também que os animais, em geral, possuem uma predisposição para trabalhar com números? Especialmente o ser humano, que tem um organismo mais refinado e desenvolvido. Pesquisas apontam que bebês já conseguem distinguir pequenas quantidades!

POR ONDE EU POSSO COMEÇAR?

Hoje vamos focar no LETRAMENTO MATEMÁTICO! Esse é um conceito básico para que nós possamos começar a falar sobre ensino da matemática. Assim como é importante alfabetizar em um contexto de letramento, é igualmente significativo ensinar matemática em um contexto de numeramento (numeralização ou letramento numérico).

O que isso significa?

Numeralizar uma criança, significa inseri-la em um contexto de práticas sociais do uso do número.

Como podemos fazer isso?

É mais simples do que parece! Precisamos pensar sobre os usos sociais que fazemos dos números e refletir com as crianças, fazendo com que elas também pensem a respeito. Como o numeramento está relacionado às práticas sociais, precisamos, em primeiro lugar, pensar sobre o CONTEXTO da nossa escola, da nossa turma e dos nossos alunos. Um exemplo bem prático é o livro da Terezinha Nunes, intitulado “Na vida dez, na escola zero”. Esse livro fala sobre crianças que trabalhavam na sinaleira e que manipulavam muito bem os números do dia a dia, fazendo cálculos de cabeça mas, na escola, tiravam notas ruins em matemática. Como explicar esse fenômeno? Essas eram crianças que estavam numeralizadas, sabiam usar os números dentro do seu contexto… mas desempenhavam mal a matemática formal, quando, provavelmente, só eram exigidos processos automatizados de cálculos.

Algumas ideias práticas para desenvolvermos conforme o contexto da nossa turma (tudo isso pode ser feito desde a Educação Infantil!):

  • Refletir sobre as diferenças entre letras e números;
  • Conversar sobre o uso dos números no nosso dia a dia;
    • Quantidades (Quantas bolachas eu trouxe de lanche? Quantos limões minha mãe quer comprar? Quantas meninas somos? E meninos?)
    • Medidas de tempo (Minutos, horas, segundos. Quanto tempo falta para…?)
    • Peso/Comprimento/Capacidade (Itens que compramos no mercado que são medidos em quilos, em gramas? Nosso próprio peso? Fazer comparações entre maior e menor, onde tem mais, testes do Piaget…)
    • Estimativas (Que horas precisamos sair de casa para chegar na escola? Quantas bolinhas será que tem aqui?)
    • Sistema monetário
  • Analisar jornais e revistas, ver onde os números aparecem. Recortar e montar cartazes (podem até ser categorizados em “números de telefone”, “medidas de tempo”, “medidas de peso”…);
  • Passear pela escola, percebendo onde localizamos números (identificando salas, setores, no bar…);
  • Pedir que as crianças façam a mesma análise enquanto estiverem fazendo o trajeto da escola até em casa (perceberão nas ruas, identificando prédios e casas, CEPs…);
  • Entrevistar os pais e responsáveis, questionando sobre os usos que fazem dos números em suas rotinas e contextos de trabalho.

Gostou do conteúdo? Então curte e compartilha! 

Aproveita para me seguir nas redes sociais, pois através delas eu dou dicas diárias para deixar a tua prática em sala de aula mais leve e doce! 

Um Abraço, 

Camila Oliveira

 

6 Comentários

  1. Avatar

    Clarissa para min foi um prazer ter te conhecido através das redes sociais, você me ajudou muito e ainda est´´a ajudando muito obrigada. Tenha um feliz Natal e um próspero ano novo.

    Responder
  2. Avatar

    Faltou dicas de leituras em alfabetização em matemática.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *