ALFABETIZAÇÃO: 5 recursos que auxiliam na leitura e na escrita

Tempo de leitura: 6 minutos

Para ensinar a ler e escrever não basta colocar as crianças em uma sala cheia de cartazes e recursos escritos. Para alfabetizar-se, o indivíduo precisa ser ENSINADO. Quando pensamos em ensino, é essencial que possamos refletir sobre os nossos OBJETIVOS e METAS; ou seja, o que eu quero que o meu aluno aprenda? O que eu quero que ele alcance até o fim do mês/trimestre/ano? 

A partir dos objetivos traçados (que estão lá no currículo do ano escolar), o professor poderá pensar sobre o conjunto de procedimentos que irá utilizar. Além disso, pensará em atividades e recursos para ajudar os seus alunos a atingirem os objetivos. 

Veja bem, todas as escolhas devem estar pautadas na nossa INTENCIONALIDADE em atingir as metas para aquele ano e para aqueles alunos, tanto no coletivo, como em suas particularidades. Primeiro pensamos em quais habilidades queremos desenvolver, para depois pensar nos procedimentos e nos instrumentos. 

Hoje, vamos apresentar 5 recursos muito interessantes que vão ajudar os seus alunos na aquisição da leitura e da escrita. Importante frisar que, acompanhado dos materiais, precisamos fazer boas intervenções orais, pois o recurso por ele mesmo, pode não ter “grandes efeitos”. Fique livre e exerça o seu protagonismo para adaptar as ideias abaixo conforme as necessidades da sua turma, as hipóteses de escrita/leitura que eles estão e escolher palavras conforme o contexto que estiver sendo trabalhado. 

Atenção: Todos estes recursos foram apresentados em uma live divertidíssima, em que a Profe Clarissa (que não é nada habilidosa) foi fazendo os recursos junto com as alunas. Assista aqui.  

 

Quais são estes 5 recursos? 

 

Janelinha/Preguicinha: eu amo este recurso e sempre recomendo para as minhas alunas, pois ele tem uma funcionalidade infinita! Podemos usar desde a Educação Infantil até o 5º ano. Trata-se de um simples envelope, que pode ter abertura em um lado só ou em ambos. Dentro, colocamos uma palavra e fazemos muitas intervenções coletivas ao ir puxando o escrito e mostrando para a turma. Podemos usar como motivação prévia para ler textos e livros, para intervenções de consciência silábica e fonêmica, sondagem de leitura e até mesmo ortografia, como eu indico no meu curso POP, Programa Ortografia na Prática. Como já falado, funciona de maneira bem simples. Basta ir tirando a palavra do envelope e ir fazendo boas perguntas: “Com que letra começa? Tem alguém aqui nesta sala que começa com esta letra? Vamos ver qual é a segunda letra? Que som elas têm juntas? Que outras palavras começam com esta sílaba…? Olha só… tem umas perninha, quais letras que têm uma perninha?”. 

 

Quem sou eu?: para fazer este recurso você só irá precisar de um pedaço de cartolina e um grampeador! A Professora Clarissa fez durante uma aula ao vivo (disponível gratuitamente aqui) e não deve ter demorado nem 5 minutos. Cortamos uma tira da cartolina que tenha a medida da circunferência da nossa cabeça (ou dos alunos), grampeamos e colocamos algum artifício para prender as palavras (pode ser fita dupla face, velcro ou até um simples clipe). Uma palavra é sorteada e colocada na cabeça do colega, de modo que ele não consiga ler. Este aluno que está com a palavra na testa começa a fazer perguntas e o outro dá características, até que se acerte a palavra. Para as crianças menores, podemos fazer com desenhos junto e, para os maiores, podemos fazer com palavras que tenham dificuldades ortográficas. Essa brincadeira pode ser realizada no grande grupo, coletivamente, mas também em duplas, já que é um recurso simples de ser elaborado. 

 

 

Pare: para confeccionar o jogo do Pare, você irá precisar de uma latinha e um pedaço de EVA ou pano para fazer uma espécie de tampa, onde será possível colocar a mão. Dentro desta lata, colocamos palavras (conforme o que estiver sendo trabalhado), e também a imagem e palavra escrita “pare” (imprima uma imagem da placa de trânsito). Funciona da seguinte maneira: em roda, um aluno vai puxando palavras e lendo todas elas, até que ele puxe a plaquinha de PARE. Aí ele deve passar a lata para o colega ao lado, que fará o mesmo. Com as crianças menores, podemos começar esta brincadeira só com letras ou com os nomes dos colegas, que são palavras mais estáveis e que eles, provavelmente, identificam com mais facilidade. Com os mais velhos, podemos deixar mais complexo, utilizando palavras com irregularidades ortográficas ou até pseudopalavras com regularidades, a fim de que leiam corretamente, respeitando a regularidade da língua. 

 

 

Papa-sílabas: o Papa-Sílabas ganhou este nome durante a aula ao vivo, e foi sugerido pelas participantes, pois foi “inventado” pela Professora Clarissa. Trata-se de uma caixa de papelão com várias fileiras de copinhos de café, que foram colados com cola quente. Neste jogo, a criança também retira palavras ou imagens de um saquinho (ou da latinha do Pare!) e irá contar quantos pedacinhos aquela palavra tem, colocando em cada copinho uma tampinha referente às sílabas. Várias palavras ficarão dispostas durante esta brincadeira, que trabalha com consciência silábica, e, assim, os alunos poderão comparar quantidades de sílabas e tamanhos de palavras. 

 

Bingo Mudo: o jogo do bingo é clássico! Qual é a diferença deste que é proposto aqui? A ideia é ser um bingo de leitura. A professora mostra a palavra, sem dizer em voz alta qual é, e cada aluno marca na sua cartela (que possui apenas desenhos). Uma super dica é não ficar apenas utilizando desenhos “fofos” para montar estas cartelas, mas fotos REAIS dos objetos que forem escolhidos. Para que você possa ver um exemplo, baixe GRATUITAMENTE aqui um arquivo e nós vamos te enviar um Bingo Mudo que tem o intuito de trabalhar com a troca das letras P/B, muito comum entre alunos de alfabetização. 

 

Gostou dessas ideias? Então, envia para uma amiga ou amigo que também vai se beneficiar deste conteúdo gratuito. Assim, vamos mais longe juntos! 

 

Aproveita para construir esses recursos simples, mas cheios de potencial! 

 

Se quiser dicas diárias para deixar a sua rotina e a sua prática docente mais leve e doce, siga @clarissapereirapedagoga nas redes sociais. 

 

Aqui está o vídeo com a explicação dos recursos que foram apresentados na live mais atrapalhada da Profe Clarissa: 

 

 

Abraço, 

Professora Camila Oliveira 

 

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *